2017

PRIO instala mais 40 pontos de recolha de óleos alimentares usados em Portugal

Agosto 26, 2017

20170826TopLevel

Desde março deste ano, a PRIO já instalou no País 40 oleões para servir de pontos de recolha de óleos alimentares usados. Esta iniciativa faz parte do projeto PRIO TOP LEVEL e tem como objetivo melhorar a gestão de óleos alimentares usados que são produzidos, e assim aumentar os níveis de reciclagem destes resíduos em Portugal.

Dos 40 oleões já instalados e, tal como previsto, cinco são oleões avançados que foram colocados nos postos da PRIO nos distritos de Lisboa, Porto e Aveiro. Atualmente, este projeto já garantiu pontos de recolha em 11 distritos (presença em 34 concelhos), tendo ainda sido distribuídas pela empresa mais de 5.000 mini-oleões aos portugueses para facilitar a recolha dos óleos alimentares usados produzidos nas suas casas.

Até ao fim do ano, a PRIO pretende instalar mais 40 oleões avançados e disponibilizar entre 20.000 a 40.000 mini-oleões PRIO TOP LEVEL. Para divulgar aos portugueses este serviço gratuito que temos disponível, estão georreferenciados os oleões e para os sensibilizar foram criados 2 filmes onde a PRIO convida os portugueses a saber como é fácil reciclar os óleos alimentares usados que produzem nas suas casas.

O óleo alimentar usado reciclado está já a ser utilizado para produzir biodiesel que é, desde o início, uma forte aposta da PRIO.

Nuno Correia, responsável da PRIO TOP LEVEL afirmou o seguinte:
“Recentemente, uma ONG ambiental veio a público colocar o dedo na ferida sobre a quantidade de Óleo Alimentar Usado que não é reciclado e que vai parar aos esgotos, causando sérios problemas ambientais no território nacional. Queremos dizer que não estão sozinhos na luta contra este flagelo. Produzimos 50 milhões de litros de biodiesel em 2016 a partir de óleos alimentares usados (OAU) e estamos sempre disponíveis para incorporar ainda mais óleo alimentar recolhido pelas câmaras ou por recolhedores.”

O projeto PRIO TOP LEVEL conta com um investimento de 3 milhões de euros, previsto para os próximos 4 anos para a instalação dos primeiros do país. Até 2020, a PRIO espera instalar 605 oleões avançados, tornando-se assim o principal coletor de óleos alimentares usados no mercado português.