2017 2018

Janeiro

Fevereiro

Março

Abril

Maio

Junho

Julho

Agosto

Setembro

Outubro

Novembro

Dezembro

“Queremos estar cada vez mais próximos dos Portugueses”

Junho 19, 2018

PRIO-JoaoRocha

João Rocha, administrador da PRIO deu uma entrevista ao Vida Económica em que analisa o atual momento e revela que o objetivo é continuar a crescer. De acordo com o responsável, até ao final de 2018 a empresa vai continuar a aumentar a sua rede de Postos, revelando que poderão mesmo haver novas aberturas da PRIO em auto-estradas nacionais.

Veja aqui as respostas do administrador da PRIO ao Vida Económica:

Novos estudos indicam que combustíveis aditivados garantem maior eficácia, fiabilidade e desempenhos dos veículos. Tendo em conta que os combustíveis da PRIO Top Diesel e Top 95 são aditivados, que significado têm estes estudos?
Estes estudos vêm confirmar a aposta da PRIO em disponibilizar a todos os portugueses combustíveis de qualidade a um preço sempre inferior.
Consciente que o combustível aditivado é mais amigo do motor, desde a sua génese que a PRIO incentiva a utilização de produtos aditivados, disponibilizando os combustíveis TOP DIESEL e TOP 95 a um preço inferior aos combustíveis simples.
Os combustíveis da PRIO são iguais ou melhores que os dos concorrentes de referência, mas com uma ligeira diferença: são sempre mais baratos. Isto tem sido possível porque otimizamos as operações de manutenção e logística por forma a termos custos controlados.

Que faturação e volume de combustível vendido registou a PRIO em 2017?
O nosso volume de negócios consolidado ultrapassou os 850 milhões de Euros. Temos cerca de 2 milhões de clientes mensais, e vendemos mais de 600 mil milhões de litros no ano passado, na nossa rede de postos.

Qual o objetivo para 2018?
Continuar a crescer.

Com quantos postos conta a PRIO no presente?
Atualmente a PRIO dispõe de mais de 250 postos de combustível, uma rede distribuída por todo o território nacional. Esta rede conta com postos explorados diretamente pela PRIO, outros pela Jerónimo Martins, e outros ainda em regime de parceria.

Qual o objetivo até ao fim do ano?
A importância não é só o número de postos de uma rede, mas essencialmente o serviço, o volume e a cobertura da população nacional. Queremos estar cada vez mais próximos dos Portugueses, e isso implicará continuarmos a abrir mais posições.

Os postos PRIO têm como objetivo futuro alargar presença nas áreas de serviço das autoestradas?
A PRIO já está na A16 com 4 postos nos dois sentidos. Temos consciência que o facto de estarmos nas autoestradas é essencial para atingir cada vez mais clientes e ganharmos mais volume. Tendo este objetivo em mente, estamos naturalmente atentos às oportunidades que surgem no mercado.

O mercado internacional pode vir a ser aposta?
Para já não é a nossa estratégia. Internacionalizar não é uma prioridade, mas não descuraremos oportunidades que possam vir a surgir. Continuamos concentrados em otimizar cada vez mais os ativos que temos e servir cada vez melhor os nossos clientes.