Descobre para onde vai o óleo alimentar que reciclas

Pasta de dentes

Estamos em 2018, em pleno século XXI. Não há razão absolutamente nenhuma para não reciclarmos o óleo alimentar que gastamos. Em primeiro lugar porque reciclar óleo é ajudar o planeta a ser mais verde – basta um litro de óleo usado para contaminar um milhão de litros de água. Mas também porque o óleo reciclado tem mais de uma centena de utilizações diferentes.

Quando o óleo usado chega à Fábrica de Biodiesel da PRIO, em Aveiro, é submetido a uma série de processos químicos que separam os vários componentes. As impurezas são retiradas e devidamente tratadas para eliminar qualquer possibilidade de contaminação. Já purificado, o óleo é depois trabalhado por forma a produzir o biocombustível que é uma fonte de energia verde e que reduz as emissões de gases com efeito de estufa.

Mas o processo não acaba aqui: durante as reações químicas que ocorrem durante a produção de biocombustível é possível separar glicerol do óleo usado. Sim, é um produto com um nome estranho, mas que tem aplicações infinitas, e muitas delas acabam de volta à nossa casa.

Descobre as aplicações mais comuns para o glicerol:

Indústria farmacêutica
O glicerol é um dos ingredientes mais utilizados na composição de cápsulas, supositórios. É também utilizado na produção de xaropes, cremes e pomadas, antibióticos e anti-sépticos.

Indústria Cosmética
O glicerol não é tóxico, não é irritante, não tem cheiro nem sabor. Por isso mesmo, é um dos produtos de eleição da indústria cosmética e é usado na produção de pastas de dentes, cremes de pele, loções para a barba, desodorizantes, batons e maquilhagens.

Tabaco
O glicerol torna as fibras do tabaco mais resistentes e evita quebras. Por isso mesmo, é muitas vezes usado na composição dos filtros de cigarros e como veículo de aromas.

Têxteis
Durante a produção de roupa, muitas fábricas utilizam glicerol como amaciador dos tecidos. O glicerol permite ainda aumentar a flexibilidade das fibras têxteis.

Alimentos e bebidas
O glicerol é uma substância umectante. Isto significa que ajuda a prevenir a perda de humidade. Esta característica leva a que seja muitas vezes utilizado como conservante de bebidas e alimentos como refrigerantes, pastilhas elásticas, bolos e ração para animais.

Saiba como reduzir a pegada ecológica do seu carro

Saiba como torar o seu carro mais amigo do ambiente

Estamos em plena Semana Europeia da Mobilidade, o que faz deste momento a altura ideal para se voltar a olhar para o problema das emissões de gases com efeito de estufa. Todos os estudos e indicadores mostram que cada vez mais há uma ligação direta entre as emissões deste tipo de gases para a atmosfera – muitos deles gerados pelos nossos carros -, as alterações climáticas e os fenómentos meteorológicos extremos.

Mas se é verdade que cabe a cada um de nós contribuir para o esforço global de redução da emissão de gases com efeito de estufa, também é verdade que muitas pessoas dependem dos seus carros para se deslocar e não podem, simplesmente, passar a deixar o carro em casa. Se é este o seu caso, não há razão para estar deprimido, até porque há várias medidas que pode adotar para reduzir a pegada ecológica do seu carro.

Alterações como adaptar o veículo a GPL ou para usar biodiesel são apenas algumas das coisas que pode fazer para tornar o seu carro mais amigo do ambiente. Conheça aqui todas as nossas sugestões:

1. Partilhe o carro com colegas
Apanhar boleias com amigos ou vizinhos ajuda bastante. Além de deixar de consumir combustível desnecessariamente, vai ver como lhe sabe bem não ter que se preocupar com estacionamento e parquímetros o dia inteiro.

2. Desligue o ar condicionado
Nada como ligar o ar condicionado no carro quando está um calor abrasador lá fora . É bom, é verdade, mas também pode ser evitado em diversas ocasiões. Aos 100 quilómetros implica um maior consumo (mais do que aquilo que imagina, por vezes de 1/1,5 litros). Por isso da próxima vez tente encontrar um lugar à sombra e use tapa-sol ou proteções nas janelas.

3. Simplifique os seus trajetos
Vai ter de pensar bem no assunto mas no final vai compensar. Ter uma ideia das nossas deslocações diárias e dos trajetos mais eficientes vai deixar de andar quilómetros extra sem necessidade.

4. Conduza de forma inteligente 
Sabemos que na cidade e em várias situações é bastante fácil ficar com o pé pesado, tanto no acelerador como no travão. Se quer realmente diminuir a sua pegada ecológica pode começar por aí. Manter uma velocidade constante, evitando travagens e acelerações bruscas pode ajudar. Opte também por substituir o pé no travão pelo acto de levantar o pé do acelerador e deixar o carro perder potência, isto apenas quando se encontra longe do motivo por que está a travar, como um semáforo por exemplo. Evitar ultrapassar as 3000 rotações do motor e usar mudanças altas é também recomendado para não esforçar o motor e consumir demasiado.

5. Na hora de comprar pense bem
Quando quiser adquirir um novo carro pense bem e lembre-se que há opções com emissões de CO2 mais reduzidas, como um carro híbrido, elétrico, a GPL ou a Biodiesel. Para mais informações sobre os postos PRIO em que pode encontrar locais de abastecimento consulte a App Prio e descubra como pode poupar até 10 cêntimos por litro na hora de abastecer.