“Queremos estar cada vez mais próximos dos Portugueses”

PRIO-JoaoRocha

João Rocha, administrador da PRIO deu uma entrevista ao Vida Económica em que analisa o atual momento e revela que o objetivo é continuar a crescer. De acordo com o responsável, até ao final de 2018 a empresa vai continuar a aumentar a sua rede de Postos, revelando que poderão mesmo haver novas aberturas da PRIO em auto-estradas nacionais.

Veja aqui as respostas do administrador da PRIO ao Vida Económica:

Novos estudos indicam que combustíveis aditivados garantem maior eficácia, fiabilidade e desempenhos dos veículos. Tendo em conta que os combustíveis da PRIO Top Diesel e Top 95 são aditivados, que significado têm estes estudos?
Estes estudos vêm confirmar a aposta da PRIO em disponibilizar a todos os portugueses combustíveis de qualidade a um preço sempre inferior.
Consciente que o combustível aditivado é mais amigo do motor, desde a sua génese que a PRIO incentiva a utilização de produtos aditivados, disponibilizando os combustíveis TOP DIESEL e TOP 95 a um preço inferior aos combustíveis simples.
Os combustíveis da PRIO são iguais ou melhores que os dos concorrentes de referência, mas com uma ligeira diferença: são sempre mais baratos. Isto tem sido possível porque otimizamos as operações de manutenção e logística por forma a termos custos controlados.

Que faturação e volume de combustível vendido registou a PRIO em 2017?
O nosso volume de negócios consolidado ultrapassou os 850 milhões de Euros. Temos cerca de 2 milhões de clientes mensais, e vendemos mais de 600 mil milhões de litros no ano passado, na nossa rede de postos.

Qual o objetivo para 2018?
Continuar a crescer.

Com quantos postos conta a PRIO no presente?
Atualmente a PRIO dispõe de mais de 250 postos de combustível, uma rede distribuída por todo o território nacional. Esta rede conta com postos explorados diretamente pela PRIO, outros pela Jerónimo Martins, e outros ainda em regime de parceria.

Qual o objetivo até ao fim do ano?
A importância não é só o número de postos de uma rede, mas essencialmente o serviço, o volume e a cobertura da população nacional. Queremos estar cada vez mais próximos dos Portugueses, e isso implicará continuarmos a abrir mais posições.

Os postos PRIO têm como objetivo futuro alargar presença nas áreas de serviço das autoestradas?
A PRIO já está na A16 com 4 postos nos dois sentidos. Temos consciência que o facto de estarmos nas autoestradas é essencial para atingir cada vez mais clientes e ganharmos mais volume. Tendo este objetivo em mente, estamos naturalmente atentos às oportunidades que surgem no mercado.

O mercado internacional pode vir a ser aposta?
Para já não é a nossa estratégia. Internacionalizar não é uma prioridade, mas não descuraremos oportunidades que possam vir a surgir. Continuamos concentrados em otimizar cada vez mais os ativos que temos e servir cada vez melhor os nossos clientes.

Histórias que fazem a história da PRIO: Ana Pinho

Ana Pinho

Quando terminou o curso de Química Alimentar na Universidade de Aveiro, Ana Pinho só tinha um objetivo em mente: dedicar-se exclusivamente ao desenvolvimento de novos produtos alimentares. “Estava muito longe de saber que hoje estaria onde estou”, confessa a atual responsável de Marketing da PRIO.

Foi durante a frequência de um MBA na Escola de Gestão do Porto – atual Porto Business School -, que a vida de Ana Pinho mudou. “Conheci o Engenheiro Luís Martins que me apresentou ao sonho da PRIO: uma grande companhia nacional no sector dos combustíveis, que desenvolvesse produtos de elevada qualidade e que fosse capaz de concorrer com os grandes players do sector em Portugal”, recorda. Assim que acabou o MBA, entrou para a PRIO. Desde esse dia, já passaram mais de 10 anos.

Ana Pinho 2Entrou para a empresa para assumir o cargo de responsável de Qualidade, Segurança e Ambiente da PRIO Advanced Fuels, a atual PRIO Energy, e recorda esses primeiros dias com a saudade de quem viu uma empresa crescer do zero: “toda a equipa ocupava apenas um conjunto de secretárias numa das alas do edifício da Martifer Construções”. E até em casa, quando a família e os amigos lhe perguntavam pelo trabalho, Ana confessa que tinha dificuldades em explicar o que fazíamos na PRIO. “Antigamente ninguém sabia o que era a PRIO. Tinha sempre de contar toda a história”, lembra a responsável de Marketing da marca portuguesa.

Este é um problema que, uma década depois, Ana já não tem: “Toda a gente sabe quem somos”, afirma, sublinhando que a empresa se transformou, “ao longo deste tempo, construímos uma marca muito forte, que é valorizada pelos portugueses e reconhecida por todos”. “O sonho tornou-se realidade e a PRIO tem hoje um portefólio de produtos de qualidade a um preço sempre inferior”, conclui.

 

PRIO em terra e no ar

Vida Económica | 09-03-2018 | Entrevista | Emanuel Proença, Membro do Conselho Executivo da PRIO

Controlada pela Oxy Capital, a PRIO detém atualmente uma quota de mercado de 10%. No ano passado, a marca sediada em Aveiro iniciou uma experiência de comunicação com um avião acrobático, aproveitando a onda da Red Bull Air Race. Uma aposta que o administrador Emanuel Proença diz ser para continuar.

PRIO-Emanuel-Proença

Vida Económica – Como surgiu a aposta da PRIO na aviação desportiva? 

Emanuel Proença – A aposta na aviação desportiva surgiu em 2017, ano em que a nossa marca celebrou 10 anos de atividade no mercado dos combustíveis. O nosso objetivo, para além da visibilidade e notoriedade que a presença da marca num avião de acrobática nos pode trazer em diferentes momentos, foi criar experiências memoráveis aos clientes, stakeholders e a todos os parceiros que têm acompanhado a marca. Foi também reforçar aquilo que nos distingue: uma empresa de mobilidade e energia, nascida em Aveiro, que se bate com as gigantes multinacionais do setor e consegue ter uma marca jovem, positiva e de futuro, assente em produtos da mais alta qualidade a preços sempre mais baixos.

VE – Depois de um ano em que a imagem da PRIO foi muito longe com este suporte, que balanço fazem? 

EP – A presença da marca no avião do comandante Luis Garção foi enquadrada inicialmente na celebração do aniversário da marca, mas a continuidade deste patrocínio pretende consolidar os valores da marca – qualidade, performance, simplicidade, preço e proximidade – junto dos consumidores. Sentimo-nos à vontade em meios que representam performance ao mais alto nível, e que são normalmente trabalhados por empresas com a Red Bull, a Mercedes e outras empresas de topo a nível mundial. É por isso que apostamos tanto no projeto do Avião PRIO, como na Energia do Surf (apoiando o Hugo Vau, que terá há pouco mais de um mês surfado a maior onda de sempre a nível mundial). O avião PRIO, tal como o projeto de surf em ondas gigantes, é um veículo de comunicação de excelência, que irá, com certeza, criar momentos para mais tarde recordar a muitos dos nossos clientes e parceiros.

VE – Que mensagens e valores pretendem transmitir? 

EP – A vontade de explorar novas tendências está no ADN da marca. A nossa irreverência, a vontade de fazer diferente, demonstrando que é possível apresentar preços mais baratos, mas mantendo sempre a mesma qualidade num mercado dominado por multinacionais, está representada neste suporte da marca. Voamos mais alto, com preços mais baixos, com uma maior proximidade ao cliente, e sempre com qualidade de nível superior.

VE – Que investimento implica esta ação? 

EP – O investimento anda na ordem dos 100 mil euros, com um retorno mediático superior a um milhão de euros. Mas mais importante do que estes números é a credibilização da marca e do produto que este esforço implica que nos interessa – só um combustível de excelência pode dar energia suficiente àquela máquina e àquelas manobras espetaculares. A par disso, o avião traz dinamismo a eventos por todo o país e mais um elemento de atração que continua a encantar e fazer sonhar pessoas de todas as idades.

PRIO-Aviao

VE – Qual a vossa expectativa de retorno da mesma? 

EP – A parceria com o Comandante Luís Garção transporta a marca para uma dimensão mais emocional e aspiracional, importante para conquistar novos clientes, nomeadamente camadas mais jovens da população e pessoas mais sensíveis à performance dos combustíveis.

VE – Como vão integrar o avião no vosso plano de marketing e comunicação? 

EP – O design deste avião foi concebido à imagem da PRIO e pretende ser um meio estratégico e de personificação da marca que estará presente em vários eventos de caráter nacional. Embora ainda não estando completamente fechado, o plano de marketing e comunicação deste ano incluirá certamente ativações com o avião, dando continuidade à proximidade e à possibilidade de oferecer experiências únicas a alguns dos nossos clientes. O avião PRIO estará certamente em muitos dos grandes palcos deste verão, sejam eles festivais, feiras, grandes eventos e praias.

Fonte: Vida Económica